Contabilização das movimentações de estoque

Contabilização das movimentações de estoque

Cada movimentação entre posições de estoque associadas a diferentes contas contábeis gera automaticamente um lançamento contábil.

Há dois tipos de movimentação:

  • movimentação primária  de quantidade e/ou valor, em que a origem é uma conta (ou não há origem, como no caso de criação de uma OP, sem valor) e não um estoque. Exceção: se a movimentação for de devolução ou estorno, então a movimentação não é primária, mesmo que a origem seja uma conta. O valor de um movimentação primária pode ser considerado como “uma imposição vinda de fora”, não sendo resultante de outra movimentação. Uma movimentação primária não acumula valor de outras. O fato de uma NF gerar uma movimentação decorre de sua Operação fiscal, que possui uma propriedade “gera movimentação”.  Exemplos de movimentações primárias:
    • recebimento de NFs de itens comprados, de frete ou consultoria
    • criação de uma OP
  • movimentação secundária é uma movimentação não primária. O caso mais comum é o da movimentação entre diferentes locais  internos da empresa, sem trocas de valor com entidades externas. A movimentação secundária pode corresponder à propagação de uma movimentação primária, mas pode ocorrer mais tarde.  Exemplos de movimentação secundária:
    • baixa de insumos do estoque para ordens de produção
    • propagação do custo da mão de obra, em quantidade (horas) e valor, que pode ser determinada depois da conclusão da ordem de produção, que corresponde a uma movimentação primária. Este valor inclui o rateio dos custos gerais, como por exemplo de energia elétrica ou administrativos, entre os centros de custos
    • propagação do custo do frete, originária de uma NF de frete, que pode chegar depois do recebimento do material.  O recebimento da NF de frete é uma movimentação primária, mas a propagação do seu valor para os itens movimentados se faz através de movimentações secundárias.
LCs das movimentações

Cada posição de estoque, inclusive as posições associadas às OPs,   está associada a uma conta contábil.

Cada movimentação entre duas posições de estoque, associadas a diferentes contas contábeis resulta, em algum momento, em um lançamento contábil (LC), com:

  • Crédito:  conta contábil associada à origem
  • Débito:   conta contábil associada ao destino

O LC de uma movimentação primária deve ser feito simultaneamente com a sua criação porque,  havendo criação de um valor  (chegada de um serviço ou mercadoria à empresa), há uma contrapartida financeira sob a forma de um título a pagar:

  • Crédito:  conta contábil associada ao título a pagar
  • Débito:   conta contábil associada ao local de destino

Uma movimentação pode ser física, alterando as quantidades das  posições de origem e destino, e ao mesmo tempo de valor, ou não-física, transferindo apenas valor, não quantidade. A quantidade (física) da movimentação é um valor fixo, criado junto com o próprio registro da movimentação, que pode ser alterado apenas por uma operação de estorno, que corresponde a uma anulação da movimentação, parcial ou total. Em outras palavras, a quantidade da movimentação não é afetada pelo custeio ou por lançamentos contábeis. O valor de uma movimentação, por outro lado, é recalculado a cada movimentação, ou a cada momento pelo custeio, sendo uma função da movimentação física e de outros valores, conforme visto acima (NFs, LCs, mão de obra).  Quando é contabilizado, o VNC (valor não contabilizado) é zerado.

O custeio é feito por recálculo a partir dos valores de partida, que são:

  • o último fechamento contábil, incluindo o valor dos estoques
  • as movimentações de valores realizadas após este fechamento, incluindo NFs de entrada e de saída, salários, outros pagamentos, e valores movimentados através dos próprios materiais.

Cada movimentação afeta o valor associado a essas posições. Cada posição de estoque possui um valor armazenado no fechamento contábil precedente. A esse valor, são adicionados ou subtraídos, por exemplo:

  • valores de NFs referentes a recebimentos de material
  • valores de NFs de frete externo, que são adicionados aos valores pagos ao fornecedor, mesmo que essas NFs cheguem em datas diferentes
  • no caso de posições de estoque associadas a OPs, são adicionados os valores referentes aos insumos, que por sua vez são subtraídos dos suas posições de origem
  • no caso de posições associadas a OPs, podem também ser adicionados valores de NFs de serviços realizados por terceiros, sobre estas OPs, tais como calibragens ou inspeções,
  • também podem ser adicionados valores referentes à mão de obra apontada ou estimada
  • ao ser concluído um produto da OP, o seu valor é subtraído da mesma, e adicionado à posição em que este produto é armazenado.
  • ao ser vendido um produto, o seu custo (não o seu valor de venda) é subtraído do estoque de expedição.
Contabilização de movimentação primária e secundária

Quando é feito o lançamento contábil de uma movimentação ?

  • movimentação primária: é contabilizada no momento do fato gerador, não havendo mais alterações na contabilização, exceto em caso de retificação do fato gerador, como por exemplo a revisão de uma NF. Uma movimentação primária não acumula valores propagados de outras movimentações.
  • movimentação secundária: normalmente, são contabilizadas no fechamento contábil seguinte. Uma movimentação secundária pode receber um valor inicial (LC) em uma data, e vários valores adicionais (LCs), propagados em datas posteriores.

Quando é feito o fechamento contábil, várias movimentações secundárias podem ter seus LCs acumulados, desde que esses LCs ocorram no mesmo mês.

No entanto, quando uma NF de frete, por exemplo, chega no mês seguinte (digamos em outubro) ao recebimento de material (que ocorreu em setembro), a movimentação será em setembro, e o LC em outubro. Neste caso, criaremos um registro em uma tabela nova,  MOVLC, que associa movimentações e LCs que ocorrem em meses diferentes,  e a relação será n:1 (n LC : 1 movimentação, ie haverá 1 movimentação e um registro de MOVLC por LC, mas pode haver vários LCs para uma movimentação ).  O registro de MOVLC indica o valor com que cada LC participa na movimentação.

Valor contabilizado (VC) e não contabilizado (VNC) de uma movimentação

Por exemplo mostrado anteriormente, pode ser primeiro recebida a madeira, no valor de R$ 1000,00, referente ao material, propriamente dito, e vários dias mais tarde a NF de frete, no valor de mais R$ 100,00. Ambas as movimentações são primárias.

A movimentação de baixa da madeira para a OP do pé-de-mesa também será realizada em duas datas diferentes:

  • 22.4: movimentação de R$  200,00, referente ao valor do material propriamente dito. Esta movimentação é secundária, pois não há alteração no valor global da empresa;
  • 29.4: movimentação de R$  20,00, referente à propagação do valor do frete. Esta movimentação também é secundária.

Se os LCs forem feitos nos dias seguintes às 2 movimentações de valor, respectivamente, teremos:

  • 22.4: movimentação de R$  200,00, referente ao valor do material propriamente dito:
    • VC = 0
    • VNC = 200,00
  • 23.4: contabilizamos, resultando:
    • um LC1 de R$ 200,00  C: matéria prima       D: produtos em elaboração
    • VC = 200,00
    • VNC = 0
  • 29.4: movimentação de R$  20,00, referente à propagação do valor do frete
    • VC = 200,00
    • VNC = 20,00
  • 30.4: contabilizamos, resultando:
    • um LC2 de R$ 20,00  C: matéria prima       D: produtos em elaboração
    • VC = 220,00
    • VNC = 0