Reservas e vínculos

Reservas e vínculos

Cada reserva ou vínculo é definido por:

  • um código do item, sua quantidade e unidade
  • um produtor: qual estoque, ordem de produção, pedido de compra ou solicitação de compra
  • um consumidor: qual pedido de venda ou (operação de) ordem de produção
  • um item de pedido de venda

Uma reserva é um compromisso, um vínculo é uma previsão.

1. Reservas

Quando algo é reservado para um item de pedido de venda, não pode ser faturado, ou baixado como insumo para outros itens de pedidos de venda.

Podem ser reservados:

  • material em estoque;
  • itens de uma solicitação ou pedido de compra para um fornecedor. Quando o material é recebido, o estoque resultante já está automaticamente reservado;
  • o produto de uma ordem de produção, mesmo que a sua fabricação não tenha sido concluída, ou mesmo iniciada. Quando a ordem for concluida, o seu produto já estará automaticamente reservado para a mesma finalidade.

As reservas acompanham as movimentações. Se o material reservado for transferido para outro local, ou mesmo para um terceirizado, a reserva se mantém.

Se um material está reservado para determinado pedido de venda, o MAXIPROD não permitirá que seja consumido ou faturado para outra finalidade.

Podem ser reservados materiais nas seguintes origens: estoque, solicitações de compra, pedidos de compra e ordens de produção.

A quantidade reservada de uma origem não pode ser superior à sua quantidade. Por exemplo, se um registro de estoque contém 10 termostatos, não podem ser reservados mais do que 10 termostatos desse registro.

Por outro lado, o material dessa origem pode ter várias reservas.  3 termostatos podem estar reservados para o pedido de venda 1402, outros 5 para o pedido 1490, e os 2 termostatos restantes podem permanecer não reservados, ou seja, livres.

Se surgir um novo pedido de venda, diferente dos pedidos 1402 e 1490, apenas esses 2 termostatos não-reservados estarão disponíveis para pronta entrega.

Quantidade reservada e quantidade necessária para a produção / estrutura de produto

Pode-se reservar uma quantidade maior do que a necessária, por exemplo porque a engenharia do produto não foi completada. Neste caso:

  • a quantidade da reserva que excede a necessidade aparecerá como sobra da reserva;
  • a quantidade total da reserva, inclusive a que excede a necessidade será comprada ou fabricada, e não será considerada como quantidade que sobra da solicitação de compra, pedido de compra ou ordem de produção.

Criação de reservas

As reservas são criadas manualmente, em duas telas:

  • multinível futuro de itens de pedidos de venda
  • tela de reservas manuais

Transferência de reservas

Pode-se gerar uma solicitação de compra já reservada para um pedido de venda. Quando esta solicitação de compra é transferida para um pedido de compra, a reserva também é transferida, automaticamente. Quando o pedido de compra chegar, e for transferido para o estoque, a reserva é mais uma vez transferida automaticamente, passando o estoque a ficar reservado para o mesmo pedido de venda para o qual havia sido reservado o pedido de compra, e antes a solicitação de compra.

Reserva para NF de saída

A reserva para uma NF de saída é uma reserva de curto prazo, válida enquanto a NF está em estado de “digitação”.

Seu objetivo é fazer com que todos os materiais a serem remetidos estejam escolhidos no momento da emissão da NF.

Quantidade máxima de uma reserva que pode ser baixada como insumo de uma ordem de produção

Que quantidade de um insumo reservada para uma unidade de pedido pode ser baixada para uma OP ?

Assumimos que:

  • estamos considerando apenas as reservas para itens de pedido de venda. Reservas feitas diretamente para a ordem de produção são adicionadas ao resultado deste cálculo
  • a ordem de produção pode ter partes de seu produto reservadas para vários itens de pedido de venda
  • um mesmo item pode ter vários registros de estoques de origem, por exemplo com diferentes números de lote;
  • cada registro de estoque de origem pode ter a sua quantidade reservada para vários itens de pedido de venda

A baixa para uma OP da quantidade de um insumo reservada para um item do pedido é limitada pela proporção entre a reserva da OP para o item do pedido e a quantidade total da OP. Ou, seja, apenas a parte da OP dedicada ao item do pedido deve alimentar-se das reservas para esse item de pedido.

Exemplo

– Ordem de produção  de 10 tampos, das quais 3 são reservados para o item de pedido P1, de 3 mesas.
– cada tampo consome 2 kg de madeira, portanto o consumo total de madeira para a OP é de 20 kg de madeira.
– deseja-se que a quantidade de madeira reservada para o item de pedido P1 a ser baixada para a OP seja limitada a 3/10 x 20 kg = 6 kg.

Ou seja, se a OP do tampo consome 20 kg de madeira, e 30% do produto da OP são dedicados ao item do pedido P1, então apenas 30% de 20 kg, ou seja, 30% do total de insumos deve-se alimentar das reservas de madeira para o item de pedido P1. Se baixarmos mais do que 30% da quantidade total necessária do insumo para a OP a partir da reserva para P1, estaríamos alimentando também os demais itens de pedidos com material reservado para P1.

 

2. Vínculos

Os vínculos são associações criadas pelo MRP, ligando: entidades que produzem (ou suprem), entidades que consomem materiais, e itens de pedidos.

Ao iniciar a avaliação de um item, o MRP apaga todos os seus vínculos, a seguir recriando-os ou criando novos.

Os vínculos tem 2 utilidades:

a) melhorar a visualização do resultado do MRP, tanto na ficha-futura, como no multinível de produção, mostrando que consumo é atendido por que produção. Sem os vínculos não se sabe se um consumo é realmente atendido por uma produção.

b) permitir a realização do MRP de um só PVIT (item de pedido), pois armazenam as necessidades e atendimentos das necessidades dos demais pedidos.

Um vínculo é uma previsão, mas não é um comprometimento, como uma reserva.

Mesmo que, por exemplo, um material em estoque esteja vinculado como insumo de uma ordem de produção, ele pode ser usado em outra, ou vendido. No caso de uma reserva, o sistema não o permitiria.

Ao baixar um insumo para uma OP, ou ao faturar, os materiais são movimentados na seguinte sequência:

  • 1a prioridade: material reservado para o destino
  • 2a prioridade: material vinculado para o destino
  • 3a prioridade: material não vinculado para qualquer destino
  • 4a prioridade: material vinculado para outros destinos

O MRP cria os vínculos para os consumos em ordem cronológica de data do consumo, e para cada consumo na seguinte sequência:

  • 1a prioridade: reservas existentes, seja de estoque, OPs, etc;
  • 2a prioridade: estoque, em ordem de data de vencimento (se houver), senão em ordem de data de chegada do material no estoque;
  • 3a prioridade: ordens de produção e pedidos de compra, em ordem cronológica de previsão de conclusão/entrega;

Exemplos

  • V1.   3 tampos de mesa, produtor: OP 2144, consumidor: OP 2147, [pedido 212 de MOVELBOM #2]
  • V2.  4 tampos de mesa, produtor: OP 2144, consumidor: OP 2147, [pedido 217 de MOVELBONITO  #1]
  • V3.  2 tampos de mesa, produtor: estoque ‘matéria prima’ lote 15560, consumidor: OP 2147, [pedido 212 de MOVELBOM, #2]
  • V4.  5 mesas, produtor OP 2147, consumidor: pedido 212 de MOVELBOM #2,  [pedido 212 de MOVELBOM, # 2]
  • V5.  4 mesas, produtor OP 2147, consumidor: pedido 217 de MOVELBONITO #1,  [pedido 217 de MOVELBONITO, #1]

O vínculo V1 associa 3 tampos de mesa produzidos pela OP 2144 (de tampos de mesa) com o consumo pela OP 2147 (de mesas), sendo destinado para o pedido 212 de MOVELBOM, # 2.

O vínculo V2 associa 4 tampos de mesa do mesmo produtor com o mesmo consumidor do vínculo V1, mas estes são destinados para o pedido 217 de MOVELBONITO, #1.

Observe que, fisicamente, haverá um total de 7 tampos de mesa produzidos pela OP 2144 e consumidos pela OP 2147, mas contemplando 2 pedidos diferentes.

O vínculo V3 associa 2 tampos de mesa que já estão em estoque com a mesma OP 2147 que produz as mesas.

Portanto, a OP 2147 receberá um total de 9 tampos de mesa, como insumo de 9 mesas (além dos pés de mesa, parafusos, etc.).

O vínculo V4 associa 5 mesas produzidas pela OP 2147 com o  pedido 212 de MOVELBOM, # 2.

O vínculo V5 associa 4 mesas produzidas pela mesma OP 2147 com o  pedido 217 de MOVELBONITO, # 12.

Por que os vínculos são separados por item do pedido de venda?

Observe que nos vínculos do exemplo acima há um dado entre [ ], indicando o item do pedido de venda associado ao vínculo. Por que?

O vínculo discriminado por pedido de venda facilita a visualização do estado de cada item de um pedido: onde estão os seus insumos, o que já foi produzido, o que falta produzir, o que falta comprar, o que está para ser recebido, etc…  Estas informações podem ser visualizadas no multinível futuro de cada item de um pedido.

Quantidade vinculada de uma OP ou SC para um item de pedido de venda

O campo Item de pedido de venda de uma OP ou SC é preenchido se todos os destinos dos vínculos da OP ou SC tem como destino o mesmo item de pedido de venda. Pode haver quantidades não vinculadas da OP ou SC ou de suas OPs-mães, o que não pode haver é quantidades vinculadas para outros itens de pedidos de venda.

Exemplo:
PVIT 8 mesas
+ OP 10 mesas
++ OP 10 tampos

  • o vínculo entre a OPmesa e o PVIT é exclusivo do PVIT das 8 mesas, porque as 2 mesas que sobram são para estoque, ou seja, nenhuma mesa será usada por outro PVIT. Esta quantidade vinculada pode ser reservada.
  • o vínculo entre a OPtampo e a OPmesa é exclusiva do PVIT das 8 mesas, pelo mesmo motivo: nenhum tampo será usado por outro PVIT. Esta quantidade vinculada pode ser reservada.

3. Vínculos ou reservas: o que usar em cada situação?

Os vínculos são ligações menos permanentes do que as reservas entre produtores (OPs, OCs, estoque, etc…) e consumidores (insumos de OPs e faturamentos). Os vínculos são criados pelo MRP (ao mesmo tempo que cria as OPs, por exemplo), e permanecem até a rodada de MRP seguinte.

Desta forma, mesmo sem converter o vínculo em reservas, pode-se ver a destinação da OP na “simulação de estoque”, que chamamos de “ficha futura”.

A diferença do vínculo com relação à reserva é que, se surge, por exemplo, um pedido de venda com data de entrega anterior às existente, o vínculo se desloca para a demanda anterior.

Isto pode ser desejável, ou não, dependendo das circunstâncias. Se um mesmo item é usado em mais de um pedido, e não se deseja que um pedido “roube” o que estava destinado ao outro, então tem-se que fazer uma reserva mesmo.  Por outro lado se, os itens, de forma geral, são mais ou menos específicos de um pedido, eles não serão “roubados” porque não haverá interessados.

Vide: Exemplo de produção não-seriada.

De qualquer forma, o MAXIPROD usa reservas, mas feitas e desfeitas manualmente, o que é bastante simples de fazer, por exemplo, sobre o “multinível de produção” de um item de pedido. Nesta tela, já aparece o que é usado para o que, ao longo de todo um item de pedido, bastando um clique para converter um vínculo em reserva.

.

 

Vínculos e MRP

Quando se roda o MRP, sem incluir todos os itens de pedidos de venda, ao analisar cada item:

  • são buscadas todas as necessidades (PVITs, OPs, etc.) desse item, independente de seu PVIT estar ou não entre os incluídos nos PVITs cujo MRP se deseja rodar.
  • são apagados todos os vínculos que consomem a mesa, de todos os pedidos de venda.